Partilhe

EXISTENTE

PERCURSO: JARDIM DA FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN - PRAÇA DE ESPANHA - RUA EDUARDO MALTA - RUA DELFIM DE BRITO GUIMARÃES - JARDIM DA AMNISTIA INTERNACIONAL - CORREDOR VERDE - PARQUE URBANO QUINTA DO ZÉ PINTO - PARQUE DE MONSANTO

PLANTA

PRAÇA: A área de intervenção tem 64.500 m2. Esta área engloba toda a zona da Praça de Espanha e o interior de quarteirão da Rua Eduardo Malta. A proposta procura definir no espaço central da zona de intervenção uma grande Praça que funcione como polo de atração à escala da cidade.

LIGAÇÕES: O pavimento que se estende em diferentes direções e que ganha uma geometria informal para a zona a poente da praça, procura criar relações francas e diretas com a envolvente próxima. O pavimento procura estabelecer-se como um interface de caraterísticas pedonais que conecta, distribui e acolhe.

GRANDE RELVADO E SAÍDA DE METRO Propõe-se um relvado como centro da Praça. Uma das saídas de metro, a norte, acede diretamenteao relvado. Em contraposição com a saída a sul, que dá acesso a um pavimento contínuo.

BOLSAS PROGRAMÁTICAS: A nova Praça de Espanha propõe-se como um espaço público poroso e permeável através de bolsas dispersas ao longo da sua área de intervenção.

DRENAGEM: A água é um elemento sempre presente no Parque da Praça de Espanha. A sua circulação, os seus fluxos e o seu ciclo foram integrados e aproveitados no desenho do espaço. A intervenção ao nível da água passa pela seguinte estratégia: Reter a água proveniente da chuva, maximizar a infiltração e promover o tratamento.

PLANTAÇÕES: As árvores existentes serão mantidas sempre que possível. Todas as árvores cuja localização se demonstre incompatível com a nova proposta serão transplantadas para outra zona do parque.

PLANTA

RELAÇÃO DE PROXIMIDADE ENTRE QUIOSQUE E PARQUE INFANTIL

PAVIMENTO CONTÍNUO PARA DISTÍNTAS ATIVIDADES - CULTURA, LAZER E ARTE PÚBLICA

RELVADO PRINCIPAL: Espaço de lazer e estadia.

BOLSAS DE RETENÇÃO E DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS

Praça de Espanha

Até 28 de Fevereiro, as 9 propostas a concurso estão em fase de consulta pública no site www.lisboaparticipa.pt.
É solicitada a participação de todos com críticas e sugestões de forma a melhorar as propostas a concurso.
A exposição das Propostas está patente na Sala de Exposições Temporárias, a Fundação Calouste Gulbenkian.

PROPOSTA Nº 8: JOSÉ ADRIÃO ARQUITETOS + HAHA 

ESTRATÉGIA  – A proposta tem o objetivo principal de transformar a área atualmente designada por Praça de Espanha num espaço público de incontornável importância na cidade de Lisboa.
O projeto incide sobre vários temas principais dos quais se destacam os seguintes:

ESPAÇO CENTRAL – Criar um grande relvado central com a dimensão aproximada de 1 hectare. Esta área deverá funcionar como um polo de atração à escala da cidade tirando partido da enorme centralidade conferida pela existência de uma estação de metropolitano no seu subsolo. Este relvado poderá receber usos e atividades distintas funcionando como área de descanso, zona de jogos informais, zona de concertos de pequena dimensão ou festivais. Este relvado deverá atribuir uma dimensão simbólica a este espaço público tornando-o reconhecível e identificável à escala urbana da cidade de Lisboa.

PRAÇA – Através da criação de um pavimento de geometria ortogonal que envolve todo o relvado principal pretende-se conferir a este espaço público o caráter de praça, dando sentido à sua toponímia. A praça de Espanha transforma-se num espaço receptor de fluxos e atividades em que o seu centro é uma enorme superfície vegetal disponível e permeável.

INTERFACE – O pavimento que se estende em diferentes direções e que ganha uma geometria informal na zona a poente da praça, procurando criar relações francas e diretas com a envolvente próxima. A poente desenvolve-se em caminhos que ligam a área central a Sete-Rios e às zonas de proximidade ao Parque de Monsanto, a nascente à avenida Santos Dumont e a sul ao jardim e à Fundação Calouste Gulbenkian. O pavimento procura estabelecer-se como um interface de caraterísticas pedonais que conecta, distribui e acolhe.

BOLSAS PERMEÁVEIS – A nova praça de Espanha procura estabelecer-se como um espaço público poroso e permeável através de bolsas dispersas ao longo da sua área. Na sua totalidade o espaço conforma um Parque Urbano que incorpora o novo jardim no interior do quarteirão a poente (atualmente em construção) perfazendo uma área total de aproximadamente 4 hectares . Estas bolsas que propõem diferentes atividades são simultaneamente zonas permeáveis e funcionam como áreas de contenção, armazenamento e retenção das águas pluviais. Propõe-se um sistema que – através da reutilização e otimização das condutas do subsolo – restabeleça a função drenante da praça de Espanha e a conecte com os aquíferos existentes.

LIGAÇÃO GULBENKIAN – MONSANTO – Existe um percurso informal que liga a Fundação Calouste Gulbenkian ao Parque de Monsanto, que passa através do interior dos dois quarteirões a poente da praça de Espanha, respectivamente o quarteirão da rua Eduardo Malta e o quarteirão da rua Delfim de Guimarães. Fazer este percurso a caminhar demora aproximadamente 20 minutos, desde o acesso da Fundação Calouste Gulbenkian da avenida Augusto Aguiar até ao acesso a Monsanto da Avenida General Correia Barreto.
O projeto alicerca-se nesta intenção base de ligação entre a Fundação Calouste Gulbenkian e o Parque Monsanto procurando formalizar o percurso já existe. O grande espaço público proposto para a praça de Espanha estabelece-se como o interface que evidencia esta ligação.

Localização Praça de Espanha, Lisboa
Cliente C.M.L. – Câmara Municipal de Lisboa
Concurso 1º Fase 2017 ; 2ª Fase em curso
Arquitetura José Adrião – Coordenação
João Albuquerque Matos – Chefe de Projeto
Ana Grácio, Ana Santos, Carla Gonçalves, Carolina Calmon, Ricardo Aboim Inglez, Ruben Figueiredo, Tomás Forjaz, Valentin Tabareau
Arquitetura Paisagista HAHA
Engenharia de Vias Norvia
Especialidades Pensamento Sustentável

38.738006,-9.1577556
Ver mapa